Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses – Maranhão – Brasil

Os Lençóis Maranhenses formam um belíssimo deserto no Brasil, único em todo o mundo por suas belezas e particularidades.

Descrição detalhada do trekking de 5 dias atravessando as belas dunas e lagoas do Parque Nacional de Lençóis Maranhenses.

14 a 18 de junho 2017.

Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil

 

_________________________________________

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - BrasilConsiderações Gerais.
Informações Prévias ao seu Trekking.

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - BrasilSitue-se.
Veja Mapas. Distâncias e Dicas.

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil13 de junho 2017. Chegando nos Lençóis
Barreirinhas à Canto do Atins.

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil14 de junho 2017. Início da Caminhada.
Canto de Atins à Baixa Grande

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil15 de junho 2017. 2o. dia de Caminhada.
Baixa Grande à Queimada dos Britos.

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil16 de junho 2017. 3o. dia para Desfrutar o Centro dos Lençóis.
Explorando o centro do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil17 de junho 2017. 4o. dia de Trekking.
Queimada dos Britos à Betânia.

mini bussola - Trekking no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses - Maranhão - Brasil18 de junho 2017. 5o. e último dia de Trekking.
Betânia à Santo Amaro

_________________________________________

 

Fotos, vídeos e textos de Marcelo Ozório.

 

 

Desertos brasileiros?

É até de se estranhar, mas além de praias, florestas, serras e do Pantanal, o Brasil ainda possui uma outra bela e rara paisagem para seus moradores e turistas: um deserto cortado por lagoas de água doce. Esta região faz parte do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, criado em 1981, com o objetivo de proteger e estudar este ecossistema, mas que acabou transformando-se num famoso ponto turístico.

O Parque possui uma área total de 155 mil hectares. São dunas e mais dunas penteadas pelo vento forte, causado pelo vai e vem das marés. Mesmo com aspecto desértico, Lençóis Maranhenses têm um índice pluviométrico anual de 1600mm. Toda essa água cai durante a bem definida estação chuvosa, de janeiro a junho.

De julho a dezembro é o período da seca, quando dezenas de lagoas secam ou quase secam. O milagre dessa história toda é que, quando as lagoas enchem novamente, a vida também volta: peixes, crustáceos e tartarugas reaparecem como se nunca tivessem saído de lá. A época recomendada para visitas é de maio a outubro, quando são formadas as piscinas naturais.

A beleza do lugar não fica apenas nas lagoas. As dunas, que chegam a atingir 20 metros, são de uma areia branquinha. A paisagem muda o tempo todo, assim, ninguém tem o privilégio de ver a mesma imagem duas vezes.

Além da parte “desértica”, os lençóis também possuem mangues, rios (onde navegam as voadeiras), praias e claro, os “nativos”. Os nativos são pescadores que criam suas poucas cabeças de gado para o sustento na estação seca, deixando a paisagem num estilo desértico-rural.

O Parque fica situado no litoral do Maranhão, entre os municípios de Barreirinhas e Primeira Cruz. Para chegar até lá, o visitante opta pelo ônibus ou carro em uma viagem de 10 horas, ou pelo avião fretado em vôo de 40 minutos, partindo de São Luís (capital do Maranhão) no sentido de Barreirinhas.

O pólo-turístico possui pouca infra-estrutura, mas Barreirinhas tem hotéis, pousadas, restaurantes e lojas que vendem artesanatos. No encontro do rio Preguiças (que cruza os Lençóis) com o mar fica o pequeno vilarejo de Caburé, que também possui pousadas e restaurantes. Nos vilarejos pode-se apreciar a comida típica da região, observar os pássaros no fim de tarde e pegar outro barco para seguir viagem. Viagem que continua com muita areia, paisagens bonitas, vento no rosto, comida da boa e gente simpática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.